Gravidez e Exercício Físico

Abril 3, 2018 admin

Gravidez e Exercício Físico

Os benefícios, recomendações e os sinais de alarme.

A gravidez não deve ser entendida como um estado de infinitas limitações e as mulheres que tenham gravidezes de baixo risco devem ser incentivadas a iniciarem ou a continuarem a envolver-se em atividades físicas, visto que essa prática faz parte de um estilo de vida saudável, o que é benéfico tanto para a futura mamã, como para o bebé que esta carrega.

No entanto, há que ter em consideração que cada mulher é um caso e que por essa razão se devem aconselhar primeiro junto do seu médico obstetra, sendo que aquelas que nunca praticaram uma atividade física anterior à gravidez devem aguardar pelas 12 semanas para então iniciarem algum desporto. Já as “atletas” mais regulares, no período anterior à gravidez, podem continuar a praticar atividade física no primeiro trimestre com as devidas alterações e acompanhadas por um profissional especializado.

O Ideal Korpus sabe que não é fácil ganhar motivação para treinar, muito menos para criar uma rotina, e que a condição de grávida pode ser uma boa desculpa para se ficar mais tempo no sofá. Foi a pensar nessa premissa que o banco de tecidos e células 100% português agregou um conjunto de benefícios e de recomendações que irão convencer mulheres a acabar com os hábitos de sedentarismo. Afinal, o bem-estar da mulher e do bebé encontra-se acima de tudo.

Benefícios do exercício físico durante a gravidez:

Melhoria da condição física global;
Melhor adaptação cardiovascular à nova situação hemodinâmica;
Prevenção da diabetes gestacional e do aparecimento de varizes;
Um menor aumento de peso corporal e adiposidade;
Promoção de uma postura correta durante a gravidez e, consequentemente, a prevenção de lombalgias;
Melhoria da auto-imagem e da auto-confiança e uma rápida recuperação no pós-parto.

Principais recomendações:

Evitar as posições de decúbito dorsal (deitada de costas após o primeiro trimestre). Esta posição está associada a uma diminuição no aporte de sangue ao feto;

Evitar longos períodos de pé sem movimento;

Reforçar a hidratação e uma alimentação saudável;

Não praticar atividades físicas que envolvam impacto, risco de queda, atividades de mergulho ou outras que possam oferecer riscos de traumas para a grávida e o bebé;

Evitar atividades competitivas.

É também importante referir os sinais de alarme aos quais as mulheres que esperam um filho devem estar atentas durante a prática de exercício físico.

No caso de algum destes pontos acontecer, deve-se cessar imediatamente a atividade e consultar um médico:

Sinais de perda de líquido ou sangue vaginal;

Inchaço repentino de tornozelos, mãos e face (edema generalizado);

Tromboflebite (inchaço, dor e vermelhidão nas pernas);

Perdas momentâneas ou perturbações da visão, fortes dores de cabeça persistentes ou tonturas;

Aumento da FC ou da PA persistentes após o exercício;

Fadiga excessiva, palpitações ou dor de peito;

Contrações persistentes (+ de 6 a 8 por hora) que possam estar relacionados com início do trabalho de parto;

Insuficiente ganho de peso (menos de 1kg por mês durante os 2º e 3º trimestres);

Dores abdominais sem causa aparente;

Perda de Líquido amniótico.

A prática de exercício físico por grávidas é bastante incentivada nos dias de hoje por vários profissionais da área da saúde, como médicos e professores de educação física. Assim, o Ideal Korpus recomenda a todas as futuras mamãs perceber se existe alguma contra indicação que as impeça de fazer desporto, senão é seguir estes conselhos e bons exercícios!

 #idealkorpus